O meu encontro com o Yoga Restaurativo

Há alguns anos atrás estava a passar por uma fase de stress extremo, trabalhava com muitas pessoas e clientes. O telefone não parava de tocar e sentia-me constantemente solicitada por todos. Eu adoro trabalhar com pessoas, esse não era o problema. Contudo, sentia-me invadida por uma vontade crescente de “restaurar”, diretamente ligada a uma necessidade de encontrar silêncio.

Imagina, com uma vida profissional ativa, uma mente que não para de pensar e ainda mais 3 filhos em casa, gera-se muito barulho. Sim, isto acontece a muitas outras pessoas, no entanto, eu queria silêncio, queria calma, eu precisava de relaxar e abrandar as conversas internas.

Apesar de já praticar yoga desejava prolongar o efeito shavasana - aquela postura em que, de modo consciente, simplesmente abandonamos o corpo no chão e relaxamos profundamente. Decidi-me e comecei a procurar uma prática de yoga mais suave e tranquila. Encontrei o site da Miila Derzett e comecei a praticar através de vídeos do youtube. Adorei e mantive a prática e comecei a ficar mais interessada em saber mais.

Não considero que a melhor forma seja praticar por vídeos do Youtube, só que não havia nada deste género em Portugal. Comigo funcionou naquela época e ainda bem. Tinha procurado em Lisboa onde poderia praticar e não encontrei.

A utilização de suportes, a filosofia que acompanha as aulas da Miila foi um bálsamo para mim. Senti um efeito super restaurador no meu corpo e ao nível das minhas emoções. As minhas necessidades estavam a ser “ouvidas” e estava a fazer algo em relação a isso.

Um tempo depois, a vida dá muitas voltas e abri o Upstudio. Uma aluna minha procurava o yoga restaurativo e deu-se a oportunidade certa. Já me tinha inscrito no curso da Miila, tinha os materiais e começamos as duas a praticar uma yoga suave. Durante 6 meses fomos apenas nós as duas. Ela como aluna, eu como professora, também com o meu silêncio, em vigília - apesar dos alunos estarem a restaurar no ninho, o professor fica sempre em vigília.

Mais tarde, eu e esta minha aluna fomos tirar a formação da Miila no Método Restaurativo. Um percurso que nos juntou numa apren

Momento de pausa, de interiorização e descanso.
Yoga restaurativo

dizagem absoluta, que fomos facilmente integrando de modo natural.

Esta prática tem como fundamento a importância de uma vida com afetos, pausas, descanso e bons relacionamentos. Parece lógico, e é, mas vive-se realmente com estes aspetos integrados no nosso quotidiano?

Com este método convidamos os alunos a mergulharem intensivamente nos dispositivos da medicina mente/corpo, toma


ndo eles próprios consciência dos seus estados fisiológicos, mentais e emocionais. Em contato


com dispositivos restaurativos, podemos contribuir para uma rotina sem culpa e baseada em autoconhecimento e controlo do stress.

Este é um método multidisciplinar que acredita no poder de reequilíbrio do nosso organismo a partir de ferramentas que propiciam o autoconhecimento de forma pessoal e social (mente, corpo, ambiente e espírito). Aqui a espiritualidade é bem vinda como sinónimo de bem estar na nossa rotina, independente se levamos o método para alunos ou se o aplicamos em nós mesmos.

Deste modo, quem pratica conquista um espaço para observar e organizar os seus pensamentos e lidar com as suas emoções, levando o organismo, a partir de técnicas e fundamentos devidamente organizados, a um estado de segurança. Um estado que traz benefícios em todas as áreas biopsicossociais e uma sensação de bem estar geral.

O Yoga restaurativo não é uma proposta de relaxamento. Como nos diz a própria Miila Derzett no seu livro “Super Descanso”:



O método assenta na prática de âncoras de relaxamento para uma reestruturação cognitiva a partir de estudos sobre a ciência e a filosofia da pausa, do descanso e dispositivos que geram segurança ao organismo.

Existe um porção prática que utiliza posturas da yoga Relax n Renew ensinadas por Judith Hanson Lasater PhD, adaptando a estas posturas os fatores que acionam a resposta do relaxamento, tais como:

- materiais que oferecem suporte emocional com repercussões mentais profundas,

- ritual de aplicação e toque com intenção de reestruturar laços a partir do afeto e diálogo após prática com presença e acolhimento.

Este método está assente em quatro colunas: Tempo, toque, afetividade e diálogos.

Numa aula o aluno experimenta estes estágios de relaxamento:

- físico (muscular esquelético),

- diminuição das ações do tálam



o e menor informação sensorial

e, finalmente, um estado alternativo de consciência, ou estado místico - estar em contato com um mundo interno, em nada a ver com o mundo externo que temos percepção e que é a nossa aparente realidade. Este mundo material.


Este mês a Miila está em Portugal para a sua 6ª formação no nosso país. Se estiveres interessada/o, contacta-nos geral@upstudioyoga.com



Boas práticas,

Sandra Ramos

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo