Yoga fundamental para a descoberta do EU

Atualizado: 8 de nov.

“A qualidade inerente ao homem é a divindade. Ela tem que ser descoberta por ele por esforço próprio." Sai Baba

Só se consegue perceber o verdadeiro alcance do Yoga através da exploração das técnicas descritas por diversos sábios e yogis. Esta exploração significa literalmente experienciar, explorar e vivenciar. Foi desta forma que me fui apercebendo que as técnicas se aprendem na sala de aula, no entanto, é na vida do quotidiano que se vive verdadeiramente esta filosofia.


Como praticante e professora de Yoga reconheço que facilitar a compreensão da sua linguagem, bem como explicar de que forma esta sabedoria milenar pode ajudar o ser humano, nem sempre é fácil.

Todos podemos constatar que boa parte dos ensinamentos do Yoga estão à disposição nos livros e na internet. Por isso, este trazer e viver o Yoga é importante. Porque discernir a técnica do viver é que traz essa auto-investigação e o conhecimento do EU.


Conforme fui evoluindo no trazer a prática para a minha vida quotidiana, apercebi-me que as ações de um professor de Yoga são notadas pelos demais. Não é raro ouvir: “estás stressada e és professora de Yoga?”, ou “estás muito Zen”… Antes de mais o professor é um Ser humano que tem os seus desafios, como toda a gente. Existe uma grande diferença entre aquele que faz, aquele que vive e aquele que ensina.


Eternos estudantes


Do meu ponto de vista, estamos num momento muito particular da história do Yoga. Os praticantes procuram os estúdios para responder a várias questões pessoais tais como: saúde, exercício físico, alívio de ansiedade e outras questões diversas. Contudo, quando mergulham neste universo, percebem que deixam de ser praticantes para se tornarem eternos estudantes.



Independentemente de modismos, um professor de Yoga não pode alterar os seus valores e as suas convicções quando ensina. O Yoga trata-se de um sistema complexo que tem que ser oferecido aos alunos de modo gradual, propondo um repensar de crenças, de medos e ressaltando o melhor que há em nós – Seres Humanos.


Estamos então perante um excelente promissor de felicidade plena, só que para sair do conceito, tem que se praticar todos os dias. As técnicas exploradas nas aulas são, assim, postas em prática e, só então, apreendidas até se tornarem um hábito.


Não se trata apenas de posturas ou de fotos bonitas para as redes sociais, trata-se de um mergulho mais profundo só experienciado por aqueles que vivem e respiram esta filosofia prática.


Para começar a perceber o que é o Yoga, é importante perceber a sua origem.Os primeiros textos conhecidos sobre o tema são os Yoga Sutra,de Patanjali.


Falamos de um tratado escrito por Patanjali há mais de 3000 anos,um Brâmane com um pensamento muito sofisticado. Neste documento o yogi, através da ética, é convidado a traçar 8 passos para atingir o Samadhi (plenitude). Apesar de não se tratar de uma história, nesta obra fala-se bastante dos inimigos que criam os obstáculos para se atingir este estado de plenitude – produtos de um falso ego pessoal - com as suas normas, fragilidades, conflitos e doenças. Assim é exposto que o yogi já é o que busca, só necessita retirar o véu da ignorância.






O que significa Yoga?


Yoga significa união… Que é relembrar ao corpo, mente e espírito que são um Só em união com a natureza e com Deus.


Aqui Deus surge como uma Energia, Divindade ou a Lei da Ordem Universal sem relação a qualquer religião ou dogma.


Alguns dos efeitos colaterais positivos são: mais saúde, harmonia, alegria, felicidade, consciência e menos stress. Sublinhamos ainda assim, que o “Yoga de Patanjali” é direcionado para a mente e apenas refere a postura sentada para praticar a meditação. Bem diferente do Yoga dos dias de hoje que dá muito foco ao corpo e às posturas físicas (asana), o chamado Hatha Yoga.


Apesar de muitas pessoas procurarem o Yoga para tratar ou resolver problemas, ele pode fazer muito mais pelo ser humano, permite ir à origem. Ir à origem é conhecer, e conhecer dá-nos poder. Tenho observado bonitas transformações no estúdio onde dou aulas. Isso faz-me continuar neste caminho ainda mais empenhada e comprometida.


Há que recuperar a divindade do Homem. Ela está lá, só tem que ser encontrada pelo próprio. É desta união que fala a palavra em sânscrito YOGA.


Vamos praticar?


Um abraço,


Sandra Ramos





54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo